sábado, 15 de julho de 2017

Inter sobrevive na "B", graças a burrice dos Técnicos adversários

Impressiona o quanto são fracos e previsíveis,  os Técnicos do Futebol Brasileiro; pararam no tempo.
Agem mecanicamente, seguindo cartilhas mortas, já abandonadas em Países que se reciclaram no futebol.
Não consideram adversários. Dentro de casa saem pra vencer; fora se fecham com 11; ridículo, não fosse deprimente.



O Internacional vive "vacas magras". Time capenga, depende de Dallessandro; ex jogador em atividade.
Não por acaso se afunda; é um dos piores Colorados de todos os tempos.
Baixa qualidade do elenco não causa danos maiores, graças a mediocridade dos Comandantes dos adversários.
Campeão de Tudo, segundo prepotência de torcedores, por pior que esteja, é infinitamente superior a qualquer outro da Série B.
Os nossos melhores jogadores andam pelo Planeta, em busca de fortuna. Se na "A" temos de enfrentar várzeas, o que esperar da segundona!
Colorado deveria estar disparado na frente, mas derrapa; razão óbvia, não sabe propor jogo frente equipes inferiores retrancadas.
Realidade Colorada são primeiras posições na "A", "B" acidente de percurso; diferente de outros,  onde conquista maior resume-se em subir e se manter, por algumas Temporadas.
Sucesso ao enfrentar o Poderoso é não perder, vitória uma situação circunstancial, pautada na raridade.
Abismo técnico exige encurtar, desacelerar, jogar estilo mata mata, irritar; principalmente Dalle, conhecido pelo pavio curto.
Sem ele, equipe se resume a toques laterais improdutivos, cruzamentos ou ligações diretas, insuficientes pra furar ferrolhos.




Se treinadores adversários entendessem não ter bola pra encarar Inter de igual pra igual, independente de mando de campo, equipe gaúcha lutaria pra se manter na B; subir nem pensar.
Encarar o Inter em casa reconhecendo inferioridade, como se fosse no Beira Rio, fechadinho, jogando no erro e quebrando esquema dos estrelas, é  o atalho pra quebrar o favorito.
Chega ser ridículo de tão obvio; só quem não enxerga é o "Professor".



Em casa se enche de vento, põe time pra sair matando, da espaço, passa vergonha, da fôlego pra fera e não aguenta a mordida..
Se Nelson Rodrigues fosse vivo diria:
Tem horas que o Velho e Bom Complexo de Vira Latas, faz muita falta.

Todo adversário que entrou fechadinho, respeitando a diferença de grandeza, se deu bem.
CRB deu exemplo.
Se a moda pega, luta pra voltar para primeira promete ser dolorida.


Obrigado por prestigiar nosso Trabalho.
Ajude-nos a continuar.
Torne-se um Seguidor do Sofá.
Ao acessar clique nas postagens dos nossos Patrocinadores.
A cada clicada incentivará quem nos apóia e pagará seu ingresso, sem nada desembolsar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário